degustação top 10

CASA VALDUGA GRAN TERROIR LEOPOLDINA CHARDONNAY 2015 (BRANCO/BRASIL)

Amarelo palha, brilhante. Aromas de frutas brancas maduras, toque floral, baunilha, madeira bem integrada. Untuoso, acidez gostosa, bom peso na boca. Ótimo para degustar solo ou harmonizando com um delicioso prato. Imperdível e obrigatório na adega de todo enófilo.

Kaili Oliveira

Sommelier pela Escuela Española de Cata, School European Sommeliers, FISAR- Federazione Italiana Sommelier Albergatori Ristoratori e pela Universidade de Caxias do Sul – RS. Atualmente é professora da ABS-MG.

BARON ROTHSCHILD ESCUDO ROJO 2016 (TINTO/CHILE)

Bela cor granada, profunda, brilhante. Algo doce ao nariz pela fruta madura. Taninos presentes, mas bem integrados. Boa acidez, agradável, frutas vermelhas, goiaba, notas balsâmicas e baunilha. Equilibrado, harmoniza bem com uma tábua de queijos curados e semicurados e com embutidos.

Leda Beirão

Fez curso de vinho em Paris e na Universidade Católica do Chile. Leciona Enologia e Enogastronomia nas Faculdades SENAC e, atualmente, Vinhos na França, na ABS/Minas.

SASSO DI SOLE ROSSO DI MONTALCINO 2015 (TINTO/ITALIA)

Cor granada, com reflexos alaranjados. Aromas de frutas maduras, notas de especiarias, cânfora e alcatrão. Na boca, muito boa acidez, vivacidade e frescor. Intenso em frutas, taninos elegantes. Começou fechado e depois evoluiu bem na taça. Harmoniza com uma massa com molho “al sugo”.

Denis Marconi

Formado pela ABS-RJ e possui vários prêmios como melhor Sommelier de BH em vários anos. Sommelier do restaurante Taste-Vin.

MONTE DA RAVASQUEIRA VINHA ROMÃS 2014 (TINTO/PORTUGAL)

Boa intensidade aromática, notas de coco/baunilha em destaque, fruta negra madura, toques defumados e balsâmicos. Bom volume de boca, taninos maduros, boa acidez e intensidade gustativa. Generoso na fruta madura e notas da madeira. Saboroso. Estilo moderno, fácil de agradar.

Daniel Chaves

Professor da ABS-MG, co-fundador do Belo Vinho. Desde 1999 se dedica ao estudo do vinho, dirige degustações, palestras, cursos básicos e de regiões específicas, e presta consultoria especializada na área.

DOMAINE DURIEU CHATEAUNEUF-DU-PAPE LUCILE AVRIL 2014 (TINTO/FRANÇA)

Aromas florais, frutas negras, especiarias. Sabores em camadas. A complexidade do mundo feminino em um vinho ... Delicado, sensual. Ideal para uma fondue de carne a dois na montanha.

Giovanni Menezes

Colunista do Estado de Minas - Hora do Vinho.

BADIA DI MORRONA N’ANTIA 2013 (TINTO/ITÁLIA)

Rubi intenso, média viscosidade. Aromas de boa intensidade, notas da madeira, frutos vermelhos e especiarias. Macio, taninos finos, bom corpo, equilibrado, bom meio de boca, estruturado, complexo e persistente. Um vinho muito bom e que merece atenção. Beber solo ou com pratos sofisticados.

Júlio Anselmo

Dr. Júlio Anselmo de Sousa Neto, conhecedor, consultor, autor de livros, artigos, palestras e cursos sobre vinhos.

ULTRÉIA CLOS SAINT-JACQUES 2013 (TINTO/ESPANHA)

Vermelho escuro, ao nariz mostrou-se frutado, fragrante, floral, especiado, toques defumados (lembrança de carne na grelha). Paladar seco, fresco, bom corpo, harmônico, elegante com tendência a maciez. Vai bem com um filé mignon com risoto parmegiano e redução de cassis.

Nelton Fagundes

Sommelier da Enoteca Decanter, formado pela Associação Brasileira de Sommelier.

CHÂTEAU LABORDE HAUT MÉDOC CRU BOURGEOIS 2012 (TINTO/FRANÇA)

Rubi intenso, aromas terrosos, madeira, leve herbáceo. Boa acidez, equilibrado, retrogosto médio e especiado. Gastronômico, pede uma comida a escoltá-lo para que se possa tirar todo o proveito dele. Massas com molho vermelho seriam também boas companhias.

Lucas Aleixo

Sócio fundador do Belo Vinho, acredita que a melhor forma de conhecer um vinho é entender sua cultura e as pessoas por trás dele, por isso visitou diversas áreas produtoras em todo mundo. Estudioso do vinho desde 2001, dirige degustações e cursos sobre vinhos.

CUVELIER LOS ANDES COLECCIÓN 2012 (TINTO/ARGENTINA)

Rubi escuro na cor. Ao nariz mostrou-se fechado no início, depois abriu-se com frutas vermelhas maduras, discreta baunilha, mineral. Acidez no ponto, taninos firmes e longa persistência.

Arilton Soares

É professor na ABS-MG e no SENAC no curso de formação de sommelier.

COLINAS DE ANÇÃ GRAN RESERVA TINTO 2011 (TINTO/PORTUGAL)

Violáceo, escuro. Aromas delicados de ameixa, boa intensidade aromática, algo remetendo a notas de couro. Na boca é macio, untuoso, encorpado, taninos maduros, acidez bem posicionada, equilibrado e retrogosto longo. Excelente.

Horácio Barros

Professor e consultor de vinhos há mais de 17 anos. Idealizador do projeto Wine World Adventure.