degustação top 10

Galasso Nobile Delle Roche Montepulciano D’Abruzzo Riserva 2011 - Tinto (Abuzzo/Itália)

Vermelho rubi púrpura. Amplo e fragrante ao nariz, com notas de frutas vermelhas. À boca, é seco, fresco e equilibrado. Taninos marcantes, bom corpo. Vai muito bem com uma costela de porco assada com molho barbecue.

Nelton Fagundes

Sommelier da Enoteca Decanter, formado pela Associação Brasileira de Sommeliers.

Ortas Rasteau Les Peyrières 2015 Tinto (Rhône/França)

Vermelho rubi intenso. Ao nariz, é amplo e fragrante, com frutas e boa madeira. À boca, mostra acidez moderada, taninos macios, assim como os aromas de frutas e barrica. Com a evolução na taça o álcool se integrou. Final de boca agradável.

Denis Oliveira

Formado pela ABS-RJ e sommelier do restaurante Taste-Vin. Já conquistou vários prêmios como melhor sommelier de Belo Horizonte.

Raúl Pérez Leirana Albariño 2014 Branco (Rías Baixas/Espanha)

Cristalino, amarelo bem claro. Aromas cítricos e toque mineral. Bom ataque, com acidez marcante. O paladar confirma o cítrico, com algo de abacaxi e mineralidade. Boa persistência. Um vinho com mineralidade refrescante.

Márcio Oliveira

Editor do informativo e blog Vinotícias. Trabalhou como Diretor de Degustação e Vice-Presidente da SBAV-MG, Diretor de Degustação da Confraria de Sommeliers Profissionais de BH e professor do Curso de Sommeliers na ABS-MG.

Raúl Pérez Ultréia 2015 Tinto (Bierzo/Espanha)

Rubi violáceo, lágrimas lentas. Aromas de frutas em compota (ameixas em destaque), violetas, anis estrelado e toque terroso. Ao palato, corpo médio, frutado (frutas negras), taninos bem integrados e acidez equilibrada. Agradável e fácil de beber.

Daniel Chaves

Professor da ABS-MG, co-fundador do Belo Vinho. Desde 1999, se dedica ao estudo do vinho, dirige degustações, palestras, cursos básicos e de regiões específicas, e presta consultoria especializada na área.

Bueno Paralelo 31 2013 Tinto (Campanha/RS/Brasil)

Rubi profundo, lágrimas profusas. Nariz com notas amadeiradas, que não mascaram a fruta. A boca confirma as sensações percebidas ao nariz. Equilibrado, boa acidez, álcool bem integrado. Gastronômico. Muito bom.

Leda Beirão

Fez cursos de vinho em Paris e na Universidade Católica do Chile. Leciona Enologia e Enogastronomia nas faculdades SENAC, UNIPAM e, atualmente, Vinhos na França, na ABS-MG.

Astrolabe Malbec Cahors 2013 Tinto (Cahors/França)

Rubi escuro. Ao nariz, mostra anis estrelado, baunilha, madeira bem integrada, sem esconder a fruta. Na boca, tem taninos secos e boa persistência no final. Gastronômico. Um tinto que pede um carré de cordeiro em crosta de ervas.

Arilton Soares

É professor do curso de formação de sommelier na ABS-MG e no SENAC.

Cuvelier los Andes Gran Vin 2010 Tinto (Mendoza/Argentina)

Cor intensa. Aromas e sabores complexos. Café, tostado, balsâmico. Potência com elegância, uma combinação perfeita. Um exemplo de vinho! Espetacular para uma noite na montanha na companhia de amigos e de um jazz.

Giovanni Santos

Colunista do Estado de Minas - Hora do Vinho

Hacienda Gran Araucano Cabernet Sauvignon 2011 Tinto (Colchagua/Chile)

Rubi escuro. Aroma de goiabada, demonstrando a possível origem chilena. Aromas de mentol, especiarias e tudo bem integrado. Paladar potente, confirmando os aromas, goiabada, mentol, notas de chocolate amargo, encorpado.

Márcio Oliveira

Editor do informativo e blog Vinotícias. Trabalhou como Diretor de Degustação e Vice-Presidente da SBAV-MG, Diretor de Degustação da Confraria de Sommeliers Profissionais de BH e professor do Curso de Sommeliers na ABS-MG.

Sutil Acrux 2014 Tinto (Colchagua/Chile)

Cor bastante escura, quase negra. Grande viscosidade. Nariz de alta qualidade aromática. Intensidade aromática média. Aromas de ameixa preta. Na boca, é macio, taninos domados, retrogosto longo. Muito bom vinho.

Horácio Bastos

Professor e consultor de vinhos há mais de 17 anos. Idealizador do projeto Wine World Adventure.

Piana del Sole Primitivo di Manduria 2015 Tinto (Puglia/Itália)

Rubi brilhante. Aromas terciários, café, caramelo, baunilha e chocolate, sem deixar de mostrar frutas negras em geleia (ameixa), toque de alcaçuz. À boca, é macio, elegante, taninos macios e integrados. Ao ataque, é adocicado, sem ser enjoativo, compensado pela agradável acidez. Poderoso. Como se diz por aí: um vinhaço!

Kaili Oliveira

Sommelier pela Escuela Española de Cata, School European Sommeliers, FISAR (Federazione Italiana Sommelier Albergatori Ristoratori) e pela Universidade de Caxias do Sul. Atualmente, é professora da ABS-MG.